Subscribe:

Apoiadores:

segunda-feira, 28 de março de 2016

Calvário da água...

Pressionem o prefeito!
(Jorge Loeffler)
Ser prefeito implica em responsabilidade e eventuais desgastes. Sendo o município a parte contratante dos serviços dessa inutilidade chamada Corsan, compete ao prefeito a rescisão do compromisso e a tomada de uma decisão que pode ser a encampação dos serviços. 

Óbvio que isto precisa ser muito bem pensado, pois os problemas decorrentes não são pequenos. Para isto, os prefeitos geralmente são muito bem remunerados e quando alguém se dispõe a enfrentar as urnas não é apenas para ser simpático e sim para administrar e tomar em alguns casos atitudes que podem ser até desgastantes, mas necessárias. Pressionem o prefeito, pois é a ele que compete a solução desse problema. 

5 comentários:

Anônimo disse...

Quem fala em gerador para a CORSAN que não é impossível mas vamos ser realistas alguém conhece uma única cidade que a CORSAN ou qualquer outra empresa publica ou privada tenha um gerador para o recalque no sistema de captação de agua bruta ?
O Município de Uruguaiana privatizou será que lá tem e em Porto Alegre o DEMAE tem ?
Tá ai uma boa matéria para a imprensa pesquisem ?

Anônimo disse...

e hora da corsan sair de santiago, ja que faz so serviço porco!!!!!!!!!!!111

Anônimo disse...

E verdade.

Anônimo disse...

O Prefeito tem que resolver essa questão, pois, não adianta ficar mandando notificações de multas a Corsan e eles não pagarem e o pior é que estão brincando com a população, tem que sair do comodismo e ir em loco para conhecer os problemas que a cidade administrada por ele tem. Não é porque está acabando o mandato de 4 anos que vai deixar a cidade regredir mais e mais, isso é um aviso a população que não devemos votar em candidatos da situação, pois, a cidade vai continuar com esse descaso de todos os dias.

Anônimo disse...

O problema é facil de se resolver, basta a "gloriosa" Prefeitura ( muito mal gerida, pelo incopetente Secretário de Gestão) abrir um processo admnistrativo contra a Corsan e depois abrir licitação para a prestação do serviço de tratamento e fornecimento dágua. Isso já aconteceu em cidades como Porto Alegre, Caxias do Sul e Uruguaiana onde a Corsan (que não possui serviço de Ouvidoria em seu site) perdeu a concessão.

Editores

João Lemes
Éder Alves
Nova Pauta