Subscribe:

Apoiadores:

quarta-feira, 2 de março de 2016

Outro caso de abandono



Santiago – Quem transita pela passarela da rua Felipe Lopes percebe que há tempo não é feito uma limpeza no local. Tudo está coberto pelo matagal e lixo que serve de criatório para o Aedes. Conforme a moradora Magale Gelsdof (28 anos), há vizinhos que aproveitam e atiram lixo e animais mortos. “Eu pesquisei e o mosquito que eu matei é o da Dengue! Esse lixo faz juntar mosquito! Temos que passar o dia todo com repelentes”, desabafa. Segundo o prefeito Ruivo, havia um projeto para utilizar a via férrea, porém o município não conseguiu autorização, o que impede também a limpeza do local.

7 comentários:

Anônimo disse...

Está na hora da Prefeitura ir até o local e multar o proprietário.

Anônimo disse...

Esse tipo de foto a prefeitura não posta no facebook, mas a Estação do Conhecimento é fácil de aparecer.

Anônimo disse...

A PREFEITURA, POR MEIO DE SUA ASSISTÊNCIA JURÍDICA TEM QUE RESPONSABILIZAR A ALL, POIS A SITUAÇÃO ESTÁ IGUAL NA PONTE SECA DA AVENIDA GETÚLIO VARGAS. POR LÁ O MATAGAL ESTÁ TOMANDO CONTA E O MOSQUITO TAMBÉM, SEM CONTAR COM O ASPECTO HORRÍVEL DE ABANDONO DE UM LOCAL BEM PRÓXIMO AO CENTRO DE SANTIAGO.

Cassal Machado Brum disse...

Seja no Centro ou em qualquer lugar, isso é inaceitável. indo para o relaxamento. A prefeitura que crie uma punição à essa Empresa.

Anônimo disse...

Como que vai cria punição cassal? Quem a prefeitura pra inventa lei sobre área que nem eh dela?

Anônimo disse...

Falando em abandono gostaria de aproveitar a brecha e ressaltar que em Ernesto Alves se observa a sujeira, cafonal da praça onde no mês passado teve o encontro de família. Além do abandono dos prédios da Escola, Brigada Militar e Posto de Saúde que encontram-se ociosos. Terrenos abandonados na Rua Guilherme Muller chamando a atenção dos visitantes. Turismo na cidade educadora? Providências serão tomadas? Bela matéria para o blog.

Anônimo disse...

Em plena Rua dos Poetas há uma residência fechada com pátio com matagal e ratasanas andando pelo telhado e muros. Foram feitas ligações para Secretaria de Saúde seis vezes. Vigilância sanitária também e nada foi feito. Última visita da equipe de combate às endemias foi em 13 de agosto de 2015. Será que nada acontece pelo proprietário ser empresário santiaguense?

Editores

João Lemes
Éder Alves
Nova Pauta