Subscribe:

Apoiadores:

quarta-feira, 4 de maio de 2016

Os porquês da maldade

(por João Lemes - jornalista - Santiago)
O filósofo grego Epicuro de Samos certa vez questionou a origem do mal, como bem retratou o escritor catarinense Célio Pezza: "Se Deus fosse onipotente, onisciente e bom, então o mal não existiria, pois para Deus e o mal existirem, é necessário que Deus não tenha uma dessas características, ou seja: se Deus quer impedir o mal e não pode, é impotente; se pode impedir o mal e não quer, então é cruel; se pode e quer impedir o mal, mas não sabe como fazê-lo, então não é onisciente; neste caso, continua a questão de onde então provém o Mal?"

Antes que os religiosos digam que não se deve questionar Deus, digo que devemos questionar dois itens tão polêmicos e atuais; bondade x maldade, já que nunca é tarde para aprendermos a ser melhores. Como disse Aristóteles, a bondade é uma virtude e, como tal, deve ser praticada, cultivada. Também já disseram que a violência é uma demonstração de fraqueza, creio que a maldade também seja isso, aliada à falta de inteligência. Então, sejamos fortes, justos, bons e mais felizes. Não precisamos saber a fundo de onde vem o mal, precisamos é saber praticar o bem. Saber tolerar as coisas adversas já seria um grande começo. 

3 comentários:

Anônimo disse...

Deus deu o livre arbitrio, a maldade e a bondade está dentro de cada um de nós...
Fizemos e pagamos, é assim que o mundo gira!

Luís Sudati disse...

Pra quem estuda a Bíblia sabe que Deus não é o causador da maldade e não vai tolerar por muito tempo. A Bíblia revela que um anjo se rebelou contra Deus causando todo o mal que hoje existe. EZEQUIEL 28:13 a 15.

FROILAM DE OLIVEIRA disse...

O mal é insolúvel para as religiões monoteístas, que excluíram a divindade encarregada de personificá-lo. O anjo rebelado do judaísmo foi criado por quem? Cada homem, ao praticar uma maldade, não está seguindo esse anjo decaído, mas sendo ele mesmo. O bem e o mal (com seus deuses e anjos que os representam) se encontram potencialmente dentro do homem. Um ou outro podem vir a se tornar ato. Deuses e demônios foram criados pelo homem para justificar o excesso de bondade e de maldade humanas.

Editores

João Lemes
Éder Alves
Nova Pauta