Subscribe:

Apoiadores:

segunda-feira, 2 de maio de 2016

Poucas e boas da semana

(J.Lemes)
Hoje ouvi algo de fundamento na Rádio Santiago. Paulo Pinheiro sentou a ripa em quem vai para rede social dizer besteira, como a reclamação pelas filas na vacinação contra a gripe. "Você vai no banco levar seu dinheiro, tem fila; você vai numa loja pagar uma conta, tem fila; você vai comprar no supermercado, tem fila", diz o comunicador.

É, amigo Pinheiro: a gente só enxerga o que nos convém! 

Também ouvi a comunicadora Ieda Beltrão dizendo que o nosso hospital mandou diminuir as visitas. Outra grande atitude! Hospital é lugar de doente, doente precisa de paz, não de entra-e-sai para levar e trazer doenças!

O Capitão Müller também falou com Juliano Nascimento na mesma emissora. Chamou a atenção para os perigos das drogas pesadas que chegam a Santiago como LCD, êxtasy, sem falar na tradicional maconha, do crack e a cocaína. O resultado? Brigas, roubos, mortes (caso do bolicheiro), prisões, lares destruídos... 

E os pais? Sabe-se que essas drogas já invadema sala de aula. Filhos de ótimas famílias já estão usando. Aquela briga na praça de Santiago outro dia foi por envolvimento com a droga, disse o capitão Müller. A morte do bolicheiro também.

No final de semana a polícia de novo fez sua parte. Meteu mais uns na cadeia. Um dos envolvidos é bem conhecido na cidade; filho de uma ótima família, de mãe trabalhadora... Pena! 

O que choca é a hipocrisia de muitos: essas prisões acontecem por que há compra, procura e uso de drogas. E quem usa? A própria sociedade! Os mesmos que depois sorriem ao ver jovens com a cara no jornal, indo para o presídio.

1 comentários:

Anônimo disse...

otima materia ,para mim quem usa droga tambem trafica.o brasil esta perdendo esta guerra para o trafico.o preco da liberdade e a eterna vigilancia todos contra as drogas .

Editores

João Lemes
Éder Alves
Nova Pauta