Subscribe:

Apoiadores:

terça-feira, 23 de agosto de 2016

Presídio “de casa cheia”

A média é de dois novos presos por dia 
Foto: Arquivo/Jornal Expresso


Santiago – O diretor Marcelo Machado falou ao Jones Diniz (Rádio Santiago) da superlotação. E a tendência é que continue porque toda semana tem gente sendo presa por tráfico. As celas para quatro estão com o dobro. Algumas chegam a ter 12. São 180 presos (164 no presídio, 16 em outras cidades cumprindo disciplina). Destes, 41 são do albergue (23 saem para trabalhar). 

Mulheres – São 19 presas no alojamento feminino (duas estão na domiciliar). A maioria está lá por se envolver no tráfico com os maridos.

Necessidades – Marcelo diz que a prioridade seria sua ampliação, já que falta também estrutura para os servidores, material como colchões etc. 

Novo transformador
O judiciário já tem feito sua parte. Há pouco destinou dinheiro para uma subestação para um novo transformador.

2 comentários:

Anônimo disse...

E quem paga a conta. O Estado pra pagar o funcionalismo público em dia não tem dinheiro. Para a manutenção dos presos (comida, energia elétrica, água, telefone, combustível, medicamentos e etc...), em todos os presídios do Estado, por imposição legal, tem que arrumar dinheiro. Que ironia, eles que cometem os crimes, e contra nós sociedade, porém quem paga (com a perda de patrimônio, sossego, nosso dinheiro e até a vida) somos nós.

Anônimo disse...

É Assim! Eles nao.pediram pra ser presos ,prenderam agora tem q sustentar!!! a lei é porca em santiago

Editores

João Lemes
Éder Alves
Nova Pauta