Subscribe:

Apoiadores:

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

O que dizem os candidatos de Santiago?

Como foi o painel no Centro Empresarial

Hoje houve um painel com os candidatos a prefeito de Santiago no Centro Empresarial. Os três falaram dos projetos e responderam aos temas apresentados pelos empresários.
Tiago Gorski (PP) iniciou. Disse que estava bem preparado, lembrando de sua vasta formação técnica e que não se "encostou" no serviço público para se acomodar, dizendo que já fez de tudo um pouco. A seguir disse que era o único candidato sócio do Centro Empresarial.

Falou em aeroporto, no centro de  eventos, na área industrial. Enfim, fez o discurso mais voltado ao empreendedor, demonstrou conhecimento técnico sobre o que é produzido na cidade e prometeu ampliar mercados. Claro, vai trabalhar sempre ouvindo a classe empresarial e em parceria com o Centro.

A bola fora do candidato da situação foi se auto-elogiar em não ter seguido carreira por concurso público, deixando transparecer que essa é uma busca pelo comodismo.
Guilherme Bonotto (Coligação Somos Todos Santiago) falou depois e abriu dizendo que não era professor e que não estava lá para ensinar ninguém.

Lembrou que são oito partidos com ele, falou da experiência que já tem como ex-vereador e por ter sido secretário de Agricultura. Não bateu muito na atual administração, mas lembrou que é preciso enxugar a máquina. Portanto, vai reduzir secretarias.

Também mencionou os pontos que Tiago frisou e que vai inverter o quadro de arrecadação. Bateu na questão do lixo que torra milhões para ser levado embora e mais uma vez abordou as boas relações que tem fora para poder trazer investimentos como o da área da energia eólica. 

Lógico, vai aceitar a indicação do Centro para a secretaria ligada ao comércio, uma bolorenta proposta que agradou sobremaneira.

Antônio Bueno (PT) frisou sobre sua experiência pública e na administração do que é seu. Falou da boa relação com todos e foi o que mais sentou a pua na atual Administração.

 Lembrou até de uma folha de zinco que caiu com a última tormenta (há um ano) na incubadora industrial e que ainda não foi arrumada. Vai enxugar as finanças, remanejar investimentos e pediu para não se iludirem com a proposta de quem  há anos está no comando. 

Cutucou na falta de transparência na prefeitura, a qual divulga os gastos em códigos. E deu uma paulada na questão das feiras itinerantes, indo de encontro ao interesse do empresariado. Vai fiscalizar, mas sem impor barreiras ao livre comércio e que a internet é a maior porta para produtos de fora.

0 comentários:

Editores

João Lemes
Éder Alves
Nova Pauta