Subscribe:

Apoiadores:

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Advogado recebe, mas cliente fica a ver navios

Há poucos anos um assunto tomou conta das rodas de prosa na região. Eram os advogados que receberam ações da AES Sul e não haviam repassado a seus clientes. Os casos eram vários, envolvendo advogados e produtores rurais de Santiago e de São Francisco. Tudo acabou na delegacia, só não se sabe se a Justiça ou a OAB  deu alguma punição aos infratores.

Obs. Ainda em 2011, quando o assunto surgiu, o ex-presidente da OAB de Santiago se manifestou dizendo que: “Basta fazer a denúncia na OAB que tudo será analisado pelos demais advogados”. (Marcelo Noronha)

Agora surge outro 
caso em Jaguari 
Um senhor registrou que em 2012 ingressou com uma ação contra a AES Sul por falta de energia nas estufas de fumo. Ele contratou um advogado e não soube mais sobre o andamento do processo. Em agosto de 2016, tomou conhecimento de que a Justiça havia lhe dado ganho de causa e que o advogado teria sacado 12 mil e 821 reais ainda em 2014, e no ano de 2015 mais 33 mil e 642 reais, já que eram duas ações distintas. Ele só ficou sabendo que havia ganho a causa porque outra advogada consultou o seu processo.

Pagou só um pouco
O comunicante destacou que o advogado não lhe informou sobre a decisão e que após descobrir a verdade, falou novamente com ele, o qual confessou ter se apropriado dos valores, mas se comprometeu a pagá-los tendo assinado duas promissórias. Uma foi quitada e a outra, que venceu no dia 15 de outubro, até o momento não foi paga.

Obs. É bom dizer ainda que quando surge um nome de advogado na imprensa por coisas irregulares, eles vão correndo à Justiça dizer que ninguém pode tocar em seus nomes, como e as leis fossem feitas só para os outros.

“A advocacia não é profissão para covardes. Esta é uma das frases mais proferidas por bacharéis ao receberem a tão sonhada carteira da Ordem dos Advogados. Na prática, infelizmente, alguns trocam o compromisso de honrar a defesa social pelo auto (e alto) lucro fácil e desprovido de esforços.” 
(Nelci Gomes - Escritora e bacharel em Direito; aluna de Pós-graduação pela UFBA)

2 comentários:

Anônimo disse...

mas aqui em santiago tem advogados que até o momento de pegar a dita causa e receber algum adiantamento do tal honora´rio trata o cliente d uma forma educadissima , basta passar unns dias e o cliente questiona sobre o andamento da questão ja´ muda completamente a postura ,porque sera´?

Anônimo disse...

A OAB não deu punição nenhuma a "Advogada" de São Francisco que logrou varios produtores, alguns se desfizeram de pouquinhas cabeças de gado leiteiro pra ter luz em casa e a individua passou a mão no dinheiro dos coitados, esta la em São Chico cheia dos pilas e praticando sua profissão como se nada tivesse acontecido.

Editores

João Lemes
Éder Alves
Nova Pauta