Apoiam este projeto:

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Tarso diz que o PT não é uma vítima

Hoje o ex-governador Tarso Genro (PT) falou na Rádio Gaúcha e não escondeu que poderá ser mais um a sair do partido. Para ele, o PT não é uma vítima, já que assumiu certas posturas, mas agora precisa rever tudo e se reciclar.

O ex-governador disse que é preciso um resgate de tudo, principalmente da seriedade na política. Pediu reformas políticas já!  O PT, por exemplo, precisa trocar sua direção urgentemente e citou Fernando Haddad como alternativa.

A seguir, lembrou que o PT fez uma grande reforma social. Mais de 40 milhões passaram a comer e a receber educação, só que agora o PT precisa se renovar, se resgatar, assim como toda a esquerda.

Defendeu o combate à corrupção, porém, condenou grampos malfeitos, delações forçadas e prisões sem necessidade, como a do próprio Eduardo Cunha, PMDB, (mesmo ele tendo uma satisfação pessoal com isso).

"Cunha deveria ter sido preso antes, quando lutou contra a estabilidade política do governo Dilma, agindo de má-fé", disse Tarso.    

Questionado se o ex-presidente Lula teria medo do juiz Moro, disse que não, mas enfocou que não seria bom Lula ser candidato à presidência, embora seja um grande nome.

Quanto ao RS, a crise é comum a quase todos os estados, prova de que a culpa não foi dos ex-governadores e criticou o governo atual que até agora não apresentou proposta de mudanças.

Por fim, deixou claro que não será candidato ao governo porque já deu a sua contribuição.

2 comentários:

  1. Qual contribuição? Entregar o estado falido?

    ResponderExcluir
  2. tarso genro nao pode falar de ninguem pois ele e sua filha luciana genro sao um desastre na politica nunca fizeram nada tarso enterrou o rio grande ,ficam falando de todo mundo,vao pra cuba ja que gostam de comunismo.

    ResponderExcluir

O Nova Pauta é um blog noticioso e crítico, portanto sua opinião é sempre bem-vinda. No entanto, seu comentário não será aceito se ele contiver conteúdo de de cunho racista, discriminatório, acusativo ou ofensivo de qualquer natureza contra pessoas e instituições;

E, de preferência, identifique-se. Mantenha o nível, mostre sua inteligência e contribua para um bom debate. Assim, sua crítica será bem recebida pelos leitores se você usar o poder do argumento.

É proibida a reprodução de parte ou do todo desta publicação sem a permissão dos seus autores.

Por fim: TODOS OS COMENTÁRIOS SÃO LIDOS antes de serem publicados. E isso pode demorar. Portanto, aguarde.

Editores

João Lemes
Éder Alves
Nova Pauta