Apoiam este projeto:

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Eu me chamo cidadão


(João Lemes) -  Já sei. Vão me dizer que não tenho razão. Mesmo assim convoco a todos para um exame de consciência sobre o seguinte:

"Sou um cidadão do bem, portanto, eu posso usar uma arma que nunca serei capaz de matar uma mosca." 

Só que o agricultor de Pinhal Grande também era cidadão antes de matar quatro inocentes. Pelo jeito, todos podem usar armas. O segredo é só avisar quando a gente deixa de ser cidadão e vira bandido.

Outra:
"Todos nós adoramos quando a polícia ataca um carro dirigido por alguém bêbado, sem carteira ou com drogas etc. Nunca gostamos que ataque a gente. Por quê? Pela mesma razão: somos cidadãos. Nunca vamos andar errados."

 Mais um caso para aviso quando decidirmos passar pro outro lado.

Como dizem os próprios agentes da segurança: a lei é sempre para os outros. São eles os únicos errados. Nós somos os CIDADÃOS. A lei não é feita para os cidadãos.

7 comentários:

  1. Pela primeira vez, concordo plenamente contigo João.

    ResponderExcluir
  2. "Sou um cidadão do bem, portanto, eu posso usar uma arma que nunca serei capaz de matar uma mosca."
    Mais uma frase infeliz....
    Quem usa arma, é para usar, se preciso, SIM. É para matar, se preciso SIM, sempre que a minha vida estiver em perigo.
    Quem faz o mau uso, tem que ser punido SIM. Para isso que defendo o direito do porte de arma, para pessoas capazes para tal, e que tenham passado por testes de aptidão e psicológico.
    Para cada UM caso de morte "fútil" posso citar uma centena de mortes violentas por bandidos e que talvez pudessem ter sido evitados por um cidadão de bem portando arma. E essa é a vontade da maioria da população. Aceita.
    Mais uma, não pode generalizar com afirmações que não gostamos de ser parados em blitz, eu não me importo e ainda colaboro e agradeço.

    ResponderExcluir
  3. Sr. João Lemes, eu sou um cidadão do bem, possuo armas devidamente legalizadas, sou habilitado para tal e já tive várias situações que utilizei-as. Sr. João Lemes eu como cidadão do bem não exitaria nenhum segundo em usar minhas armas para defendê-lo e/ou a sua família numa situação de necessidade, pois são pessoas de bem.

    ResponderExcluir
  4. Sr. João Lemes acrescendo mais ao meu comentário, de que agiria para defendê-lo, coloco que a Lei é para todos, uns são punidos (cidadãos em desacordo com as leis), outros são protegidos (cidadãos de acordo com as leis), nenhum deixa de ser cidadão por escolhas de seus atos. Só um são do bem e outros marginais (vivem à margem da lei).

    ResponderExcluir
  5. Rosane Pinto / Assistente Social6 de dezembro de 2016 14:29

    O Juiz Federal Odilon de Oliveira vive a 17 anos vive escoltado por 10 agentes que se revezam para mante-lo seguro por 24 horas. E nós não podemos portar sequer uma arma? Onde está o Direito à Igualdade? A liberdade de ir e vir está restrita aos chefes do tráfico e as milícias, o cidadão desarmado não tem como reagir aos abusos contra a liberdade e se torna refém. A propriedade deve ser respeitada, portanto o cidadão tem o direito a possuir uma arma e a levar consigo. Principalmente mulheres que estão mais sujeitas a serem estupradas e com uma arma afastariam os estupradores, mantendo a propriedade de seu próprio corpo inviolada.A cada um cidadão que precisa usar sua arma para defesa própria ou de um familiar, acontece dez mortes ocasionadas por marginais que nunca pediram ou pedirão para usa-las ...tenha dó...

    ResponderExcluir
  6. tudo papo furado. esse velho tal politicamente correto esta destruindo nosso brasil ,todos a favor do porte de arma .chega de mentiras os paises que vendem arma em cada esquina sao os mais seguros. quem nao esta preparado para ter uma arma que nao tenha que nem diz o bolsonaro.....bolsonaro presidente 2018....

    ResponderExcluir
  7. Por causa de pessoas como esse Sr João Lemes que vivemos trancados em nossas casas sem poder ir e vir pelas ruas fazendo nossa própria seguranca

    ResponderExcluir

O Nova Pauta é um blog noticioso e crítico, portanto sua opinião é sempre bem-vinda. No entanto, seu comentário não será aceito se ele contiver conteúdo de de cunho racista, discriminatório, acusativo ou ofensivo de qualquer natureza contra pessoas e instituições;

E, de preferência, identifique-se. Mantenha o nível, mostre sua inteligência e contribua para um bom debate. Assim, sua crítica será bem recebida pelos leitores se você usar o poder do argumento.

É proibida a reprodução de parte ou do todo desta publicação sem a permissão dos seus autores.

Por fim: TODOS OS COMENTÁRIOS SÃO LIDOS antes de serem publicados. E isso pode demorar. Portanto, aguarde.

Editores

João Lemes
Éder Alves
Nova Pauta