Apoiam este projeto:

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

Pérolas dos novatos e veteranos no poder

Nelson Abreu (PDT).
Santiago - A nova formação da câmara já fez sessão nesta segunda à tarde. Claro, ainda em ritmo lento porque depois dessa já vem uma folga chamada recesso. Se bem que alguns dos novatos (e também veteranos) bateram contra a paradinha, ávidos que estão por tribuna. Gildo (PP), Nequinho (PDT) e Eva (PMDB) foram alguns dos contrários.

Gildo (PP) ainda criticou um projeto da prefeitura que veio com erro e por isso ele não quis votar.

Dionathan Farias (PP), assim como os demais novatos, ficou só agradecendo muito e prometendo trabalho com honestidade e respeito.

Marcelo Gorski (PP) também agradeceu pelos votos, cujo aumento foi de 160%. Ele foi um dos poucos a quebrar o feitiço da cadeira de presidente no último ano. (Quem presidia no último ano em fim de mandato nunca se reelegia).


Marcelo ainda se consagra porque a de Santiago foi uma das raras câmaras que não pagou diárias em 2016. Austeridade e competência ele tem de sobra.

Davi Vernier (PP) falou de um projeto que se chama "inventário cultural", que vai documentar e resgatar muita coisa histórica em Santiago. Lembrou que a festa dos 133 anos não vai ter fogos, mas terá bolo, banda e ônibus de graça pela Centro Oeste.

Davi Vernier (PP).
E foi justamente aí neste ponto que Rafael Nemitz (PSD) já se calçou. Ele diz que os fogos eram a principal atração e , agora, não haverá. E se fosse por economia, "bem que as bandas poderiam ser de Santiago", disse ele.

Depois apresentou algumas sugestões, como ele mesmo escreveu: "Dos 13 vereadores nesta primeira sessão, fui o único a apresentar proposições com sugestões". São elas:
- Alterações na zona azul; convênio entre a Prefeitura e o Estado para restauração do prédio do antigo Fórum; mudança do horário da sessão para às 20h e descentralização nos bairros e interior.


OBS: Os vídeos dos demais vereadores serão publicados nos próximos dias.

8 comentários:

  1. Otima ideia em cortar os fogos de artificio era um disperdicio dinheiro colocado fora

    ResponderExcluir
  2. Otima ideia era um disperdicio dinheiro colocado fora com fogos de artificio .parabens quem nao ta satisfeito sai fora

    ResponderExcluir
  3. E quando os novos e veteranos Vereadores irão começar a cobrar do Prefeito, empresas de grande porte, indústrias, para empregar os demais munícipes.

    ResponderExcluir
  4. Fogos de qualquer espécie é uma tradição inconsequente, que mutila, mata, ensurdece, incomoda... em nome da diversão de alguns. Fico feliz com o cancelamento dessa prática, no meu ver, idiota.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo... já basta os exemplos trágicos de final de ano, onde várias pessoas perderam a vida por conta dessas porcarias!
      Quem quiser ouvir estouros, por favor, entre no YouTube...coloque seus fones de ouvido e estou de seus tímpanos!
      Parabéns aos que foram contra...começam a dar bons exemplos, além de economia, de respeito pelos cidadãos que não aguentam mais essas barulheira!!!

      Excluir
  5. Esse Peru é uma surpresa agradável!

    ResponderExcluir
  6. Esse Perú é isso mesmo, puxador de saco, aliás como todo legislativo, ou é rasgação de seda pra um lado ou pro outro. Não em vão que maioria dos CC fez campanha a pedido do Ruivo pra ele...

    ResponderExcluir
  7. A maioria dos que iam até a Festa do município esperavam até meia-noite pra assistir aos fogos, sinal que gostavam. Mas o Rafael destacou corretamente, ao dizer que se é pra economia, se entende tal "corte". Mas o mais positivo foi ele valorizar os músicos de Santiago, que a Prefeitura não valoriza.

    Até agora ninguém perguntou quanto custa trazer a tal top banda todo ano no aniversário de Santiago... O guri tocou na ferida, com razão. Sairia mais barato os artistas da terra no palco da festa.

    ResponderExcluir

O Nova Pauta é um blog noticioso e crítico, portanto sua opinião é sempre bem-vinda. No entanto, seu comentário não será aceito se ele contiver conteúdo de de cunho racista, discriminatório, acusativo ou ofensivo de qualquer natureza contra pessoas e instituições;

E, de preferência, identifique-se. Mantenha o nível, mostre sua inteligência e contribua para um bom debate. Assim, sua crítica será bem recebida pelos leitores se você usar o poder do argumento.

É proibida a reprodução de parte ou do todo desta publicação sem a permissão dos seus autores.

Por fim: TODOS OS COMENTÁRIOS SÃO LIDOS antes de serem publicados. E isso pode demorar. Portanto, aguarde.

Editores

João Lemes
Éder Alves
Nova Pauta