Subscribe:

Apoiadores:

sexta-feira, 17 de março de 2017

Barulho de umbanda incomoda vizinhos

IMAGEM ILUSTRATIVA
Santiago – Na noite de quinta (16) uma moradora da rua Bernardino Garcia, bairro Itu, comunicou que teve seu sossego perturbado pelo barulho vindo de uma casa vizinha. Segundo ela, os vizinhos utilizam o local, apesar de ser uma casa de moradia, como terreiro de umbanda. A perturbação decorre do som dos tambores, gritos de pessoas e de animais que são sacrificados durante os cultos. O responsável pela casa foi identificado, preso e liberado após termo circunstanciado.

7 comentários:

Anônimo disse...

pessoas também são sacrificadas ??kkk

Anônimo disse...

Direitos dos animais fica aonde?

Anônimo disse...

Não, não é bem assim, não. Existe algo chamado liberdade religiosa que é um direito constitucional e inclusive provavelmente com legislação própria. Nesse caso, tradições originárias da África, considerada berço da humanidade, de milhares de anos, e sacrifícios de animais estão presentes no Velho Testamento. O templo em questão só errou em não ter requerido as licenças com antecedência junto aos órgãos competentes e recolhido as taxas e talvez combinado com vizinhos as horas mais apropriadas para a cerimônia. Quanto a gritos de animais sendo sacrificados, tal fato não procede pois é norma do ritual se antes do sacrifício o animal emitir som ele não será sacrificado por ser sinal de que o sacrifício não será aceito pela entidade.

Maicon disse...

Eu acho que já que falam tanto em igualdade de religiões.porquê as outras tem que seguir o horário da perturbação da ordem e nesse caso pode virar a madrugada de batecao? Cada um é livre para seguir o que quer desde que respeite o limite do outro para ser respeitado.

Anônimo disse...

Aí tu falou verdade Maicon, vou convidar os irmãos da minha igreja pra virar madrugada a dentro com cultos e louvores aí quero ver.

Anônimo disse...

Deixa o povo bater tambor, e só quero lembrar aos desinformados que o sacrifício de sangue há muitos séculos foi criado pelas crenças judaicas.

Anônimo disse...

Concordo, Senhores, é para todos. Uma cerimônia Afro pode muito bem começar às 17h30min/18h e terminar às 23h30min, podendo terminar antes conforme o ramo, desde que devidamente licenciada e com as taxas recolhidas. Saudações

Editores

João Lemes
Éder Alves
Nova Pauta