Apoiam este projeto:

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Pérolas da Câmara de Santiago

Gente! Esse negócio de vereador usar rádio para elogiar presidentes de partidos, usar para dizer onde foi que andou, os eventos em que participou é muito cansativo! O espaço no rádio é pago por todos. Então, vamos centrar no trabalho!

A exceção são os eventos que representaram alguma coisa, que se possa se tirar algum proveito comunitário ou cultural.

Deve ter sido aí que o vereador Rafael (PSD) estranhou. Elegeram o Davi presidente do PP e foi só elogios para ele. "Pro que foi"! O Rafa não gostou. Disse aos do PP para elogiarem os presidentes dos outros partidos que também são bons.

Dionathan Farias (PP) já se calçou. Disse que no dia em que os outros partidos elegerem seus presidentes é só chegar e elogiar também. 

Outra coisa que não se entende é a falta de prática no resumo das falas. Estão vendo um enorme cronômetro, porém sempre precisam daquela voz "chorosa" do chefe Peru, dizendo: "Acabou seu tempo!".

Os clichês também "transbordam". É "desafogamento" de trânsito pra cá, é "gargalo de trânsito" para lá, é "empoderamento da mulher" pra outro lado... minha nossa!

Mas legal mesmo é ouvir o Batista (PP) dizendo "Bola Pfuturo". Até que ele fala bem. O Ruivo dizia (e diz) o "Bola".  De outra vez é bom colocar um nome mais curto.

O Gildo (PP) cobrou pelas informações que a prefeitura não repassa aos nobres. Se calçou e acabou atiçando o Rafa, que foi para a Tribuna e descascou. Falou da Centro Oeste, cujo contrato está na Justiça porque não teria prestado um bom serviço. 

Eva Müller (PMDB) falou muito bem sobre a violência contra a mulher, dizendo boas verdades a respeito. Ela quer que Santiago tenha uma casa de passagem para acolher aquela que sofre nas garras de algum marido violento.

Eva aproveitou para elogiar uma frase do ex-prefeito Vulmar, quando fez menção à corrupção, de que para o político que rouba, seja do partido que for, a sua morada deve ser a penitenciária. 

Peru Gorski (PP) adora fazer sugestão para que a Prefeitura ou empresa abram mão de receita. Em certos casos, com muita razão. Agora ele quer não só a pessoa com deficiência andando de graça no ônibus urbano, quer também o acompanhante. Palmas para ele!

O problema é que ele nunca fala das calçadas, da falta de rampa que é obrigação das empresas, obrigação da prefeitura e dos moradores. Assim fica bem bom e o jogo segue para a torcida.

Outro tema debatido foi a venda do Banrisul. Davi (PP) resolveu lançar suas ideias antiprivatizações, agradando os sindicalistas que foram lá apenas por interesse próprio.

Talvez emocionado por ter sido escolhido presidente do PP, Davi foi além hoje: mencionou até a geração de empregos com o beneficiamento dos pínus plantados pela região.    

Nequinho (PDT), que até então andava meio calado, saiu das tamancas e chamou os corruptos de "cambada de ladrões", de "sem-vergonha",  de "gatos" e de tudo mais. "Me deem o direito de dizer aquilo que eu sinto e não o que os outros querem que eu diga", lascou o velho Neco.

Também falaram da Corsan. Lembraram que o governo e a gerência disseram que nunca mais iria faltar água, mas agora andam atrás de vazamentos invisíveis. Isso joga fora quase a metade da água tratada.

 E o Joel (PP) se enrolou para dizer que não votou na Dilma, nem no Temer, ou para lavar as mãos ou como se alguém quisesse saber do seu voto secreto.

Gildo (PP) deu mais uma saboneteada nele mesmo, se autoelogiando porque em 2004 foi buscar o Davi em casa para ser seu chefe de gabinete. Gildo quer os louros da eleição do Davi no comando do PP.  E depois lascou:

"Fui pegar informação na Prefeitura sobre as diárias e todo mundo se assustou! Parece que a gente é um bicho, um lobisomem!  O que este cara quer saber das diárias? Saibam que o vereador tem direito de saber de tudo assim como Promotoria, Tribunal de Contas, mas o vereador é discriminado. Então, agora vou fazer por escrito esses pedidos e quero ver se vão negar", bronqueou Gildo.

Por fim, Décio Loureiro (PP) fez uma boa explicação sobre a divisão do bolo da roubalheira no Brasil e pediu que pensem no país, não nos partidos. 

Rafael mandou bem na questão da Vivo dizendo que Santiago ficou três dias sem o sinal da operadora e que o tema já está até na Promotoria. "Agora dizem que a Vivo vai colocar 4G aqui, se nem a 3G funciona", critica o vereador.

3 comentários:

  1. O certo é que se juntar todas as operadoras de celular em Santiago não da nenhuma.

    ResponderExcluir
  2. vocês falam tanto em calçadas, e próximo a escola da URI, tem esse terreno na frente da escola, sem calçada, os alunos andam esparramados na rua, e logo mais a frente do horto, tem aquele terreno que também não tem calçadas! Abordem esse tema, cobrem dos donos desses bens, A Prefeitura tem que agir com urgência!!!

    ResponderExcluir
  3. O Legislativo Santiaguense é uma vergonha, se agridem, discutem o que não tem nada a ver com os problemas da comunidade, que são muitos, exageros, falta saírem para as ruas e verificarem realmente o que está acontecendo, se solucionarem alguns desses problemas já é uma vitória, ficar só discutindo sem ação não resolve nada e tudo continua como sempre.

    ResponderExcluir

O Nova Pauta é um blog noticioso e crítico, portanto sua opinião é sempre bem-vinda. No entanto, seu comentário não será aceito se ele contiver conteúdo de de cunho racista, discriminatório, acusativo ou ofensivo de qualquer natureza contra pessoas e instituições;

E, de preferência, identifique-se. Mantenha o nível, mostre sua inteligência e contribua para um bom debate. Assim, sua crítica será bem recebida pelos leitores se você usar o poder do argumento.

É proibida a reprodução de parte ou do todo desta publicação sem a permissão dos seus autores.

Por fim: TODOS OS COMENTÁRIOS SÃO LIDOS antes de serem publicados. E isso pode demorar. Portanto, aguarde.

Editores

João Lemes
Éder Alves
Nova Pauta