Apoiam este projeto:

terça-feira, 28 de novembro de 2017

Pérolas da Câmara de Santiago


José de Matos e o relaxado
Gildo (PP) voltou à questão do lixo. Disse que na rua Coronel José de Matos há um baldoso morador. Ele coloca lixo de toda a espécie na rua. A Prefeitura vai e junta e ele torna a colocar. A população está revoltada. Gildo pede que a Prefeitura, em vez de dar cartão amarelo, dê logo um vermelho e multe o relaxado.

Pelo planeta
Cleusa Canterle (PP) fez uma defesa ao meio ambiente, chamando atenção para o CAD - Cadastro Ambiental Rural. Esse cadastro eletrônico que o governo exige deve ser preenchido até o fim do ano pelos produtores rurais. "Está mais do que na hora de pensarmos no planeta que vamos deixar aos nossos netos", disse a vereadora.

Elogios à Polícia e...
Rafael (PSD) elogiou o jantar-baile da Polícia Civil que há anos tenta fazer essa integração. Agora foi possível graças às parcerias. Depois, falou das paradas de ônibus que não têm abrigos, expondo as pessoas ao rigor. Também frisou que, nos bairros, as paradas estão abandonadas.

O negócio são as parcerias
Décio Loureiro (PP) “topou a parada” e afirmou que isso vai mudar graças a uma parceria com do Poder Público com as empresas que vão assumir as paradas de construir abrigos, colocando suas propagandas em cada uma.

Madeeeiraaaaa!
Tadeu Machado (PP) lembrou das árvores de madeira de lei derrubadas pela tormenta no interior e que os produtores não sabem o que fazer. Ele orientou que eles devem procura a secretaria do Meio Ambiente para que façam um laudo com foto para tentar usar essa madeira.

E a Vivo, nem sinal
Também queixou-se das companhias telefônicas que não atendem o interior, nem com telefone fixo, nem de celular. Rafael, sempre bem informado, disse que a Vivo não tem mais responsabilidade com o interior. Essa atribuição é da OI, mas com a telefonia fixa. Enquanto a Anatel não providenciar uma mudança, os moradores do interior continuarão abandonados.

Bom Samaritano
Clairton (PSDB) falou dos eventos em Santiago e parabenizou o Hospital de Caridade, seus funcionários e direção pelo certificado “ouro” em gestão hospitalar, fornecido pelo Hospital Samaritano, de São Paulo.

Gasolina pela hora da morte
Joel (PP) saiu na defesa dos consumidores sobre o alto preço da gasolina e do gás de cozinha. Aí foi praticamente abafado pelo raciocínio do vereador Rafael, que novamente frisou que a obrigação seria do Procon e não dos vereadores. “Vereador não pode fiscalizar empresas privadas”, disse Rafael.

Obs. Nesse caso, nem os vereadores, nem o Procon, nem a Promotoria podem resolver ou mudar o que está estabelecido em lei. Ou seja, hoje cada um faz o seu preço em nome da livre negociação.

Querem culpar alguém pelo alto preço da gasolina?  Culpem o governo federal, o capitalismo, pois hoje a gasolina está cotada no Brasil e no mundo pelo preço do petróleo no mercado internacional.

Em Santiago, todos os postos (em matéria já tratada pelo Expresso) está nas mãos de três ou quatro, o que também é legal.

2 comentários:

  1. Hoje fui a Santa Maria e ao passar no posto do segundo trevo de Jaguari,abasteci meu carro com gasolina aditivada a 4.28,enquanto aqui em santiago o preço é em torno de 4.60,grande a diferença pela curta distancia entre as cidades.

    ResponderExcluir
  2. Culpar o capitalismo?
    Por que o Sr não abre um posto e distribui gasolina?

    ResponderExcluir

O Nova Pauta é um blog noticioso e crítico, portanto sua opinião é sempre bem-vinda. No entanto, seu comentário não será aceito se ele contiver conteúdo de de cunho racista, discriminatório, acusativo ou ofensivo de qualquer natureza contra pessoas e instituições;

E, de preferência, identifique-se. Mantenha o nível, mostre sua inteligência e contribua para um bom debate. Assim, sua crítica será bem recebida pelos leitores se você usar o poder do argumento.

É proibida a reprodução de parte ou do todo desta publicação sem a permissão dos seus autores.

Por fim: TODOS OS COMENTÁRIOS SÃO LIDOS antes de serem publicados. E isso pode demorar. Portanto, aguarde.

Editores

João Lemes
Éder Alves
Nova Pauta