Apoiam este projeto:

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Receita Federal de olho nas igrejas

A Receita Federal aperta a fiscalização contra igrejas, clubes e organizações assistenciais e cobra 14 bilhões em dívidas dessas entidades por terem burlado as regras que lhes garantem imunidade de tributos. Só as pendências de igrejas somam 1 bilhão. Muitas devem perder esse direito por não terem atuado como empresas sem fins lucrativos.

Obs. Como se sabe, essas entidades, principalmente as igrejas, arrecadam o que podem e nada é tributado. Talvez essa facilidade justifique o grande número de igrejas no país.

Farmácias aos punhados
Um ramo que cresce muito é o das farmácias. Para se ter uma ideia, a Organização Mundial de Saúde recomenda que haja uma para cada 8 mil habitantes. Em Santiago são 50 mil habitantes e 35 farmácias. O ideal seriam 8 para Santiago.

Em Santa Maria são 135, uma cidade com 280 mil habitantes.

Água pela barba
Mas o desespero parece ter batido em algumas. Hoje, muitos atendentes ligam para quem toma remédio de uso contínuo e avisam que “não esqueçam de pegar o seu”. Isso é feito graças ao cadastro que os pacientes fazem nas “farmácias populares” (que têm convênio com o governo federal).

2 comentários:

  1. A Industria farmaceutica parece ser o melhor negócio para empreender em Santiago, pois, temos farmácias da mesma rede em menos de 400 metros de distancia ou o povo se aito medica ou temos mais doentes que a OMS faz de estatistica para as cidades tanto de grande quanto pequeno porte que é o caso de Santiago.

    ResponderExcluir
  2. Aqui no litoral norte surgem prédios novos de farmácias e quase todos em esquinas quando eles rebaixam o meio fio, fazendo assim o passeio em ambos os lados sua "propriedade".
    Faz alguns dias, necessitando fazer uma compra em mercado e estando o estacionamento do mesmo lotado tratei de estacionar na área que da qual farmácia havia se apropriado. Veio então um moleque de merda dizer-me que não poderia usar aquele espaço que era destinado apenas aos clientes deles. Encarei o fedelho, embora sendo um velho e disse a ele que chamasse os guardas do Sartori para que guinchassem meu carro e que quando retornasse se meu carro não estivesse ali iria usar um relho que costumo carregar para ensiná-lo a respeitar aos mais velhos. Voltamos meio hora depois e eles não ousaram retirar meu carro. Está ou estava no CBT que cada lote tem um limite de área para rebaixar a fim de dar acesso a veículos, mas não podem tomar toda a frente do lote como se a mesma própria deles fosse.
    Prefeituras via de regra são ninho de "enúteis" que ocupam os malditos Cargos em Comissão para assim serem mantidos bem gordos à próxima eleição. Espero que essa cidade aí seja uma das raras exceções.

    ResponderExcluir

O Nova Pauta é um blog noticioso e crítico, portanto sua opinião é sempre bem-vinda. No entanto, seu comentário não será aceito se ele contiver conteúdo de de cunho racista, discriminatório, acusativo ou ofensivo de qualquer natureza contra pessoas e instituições;

E, de preferência, identifique-se. Mantenha o nível, mostre sua inteligência e contribua para um bom debate. Assim, sua crítica será bem recebida pelos leitores se você usar o poder do argumento.

É proibida a reprodução de parte ou do todo desta publicação sem a permissão dos seus autores.

Por fim: TODOS OS COMENTÁRIOS SÃO LIDOS antes de serem publicados. E isso pode demorar. Portanto, aguarde.

Editores

João Lemes
Éder Alves
Nova Pauta