Apoiam este projeto:

segunda-feira, 30 de julho de 2018

Giro político

Chegou a hora do 'vamos ver'

(J.Lemes) Pelo visto, teremos oito candidatos ao governo gaúcho.

Faltam ainda as homologações de Heinze (PP), Abigail (PC do B), Eduardo Leite (PSDB) e a do próprio Sartori (foto).
Tudo se resolve domingo, 5.


Quem já está e quem será homologado
O primeiro candidato oficializado foi Mateus Bandeira (Novo). Depois, foi a vez do vereador da capital, Roberto Robaina (Psol). O PDT confirmou o ex-prefeito de Canoas, Jairo Jorge. O PT vai com o ex-ministro Miguel Rossetto. O PCdoB, que indicará Abgail Pereira, e PP, que terá na disputa o deputado federal Heinze, farão convenções em 4 de agosto. O PSDB lançará o ex-prefeito de Pelotas, Eduardo Leite, no dia 5, mesma data em que o MDB confirmará o nome de Sartori.

Obs. As coligações e apoios já estão quase ok. Sartori, por exemplo, integrará a maior coligação (10 partidos - MDB, PSD, PSB, PR, Patriota, PSC, PRP, PMN, PTC e DC (Democracia Cristã, antigo PSDC) Por isso, terá maior tempo de TV.

Governo “farrapo”
O fato curioso é que, ao assumir o governo em 2015, Sartori (MDB) disse que não seria candidato e que seu interesse era arrumar o Estado. Não fez uma coisa, nem outra. Não arrumou o Estado e rompeu a promessa de não candidatura.

Obs. É bem verdade que o Gringo não foi tão mal assim, já que pegou um governo aos trapos. Seu erro foi não ter conseguido alternativas para sair da crise e, ao menos, pagar em dia os salários dos servidores.

Vírus da política
Agora, cá pra nós. Sartori poderia ficar em casa ganhando 33 mil vitalícios como ex-governador (salário de um desembargador) e não apenas os 18 mil de hoje como governador. O que ele preferiu? Seguir concorrendo, tentando se perpetuar no poder como costuma fazer qualquer vil mortal contaminado pelo vírus da política.

Quem vence?
É bom lembrar que Sartori será o último governador a receber pensão vitalícia. A lei mudou e essa chance acabará para os próximos. É bom lembrar também que o Estado nunca reelegeu um mandatário. Seria agora? Ninguém sabe. Em 45 dias de campanha, tudo pode acontecer.

Custo-Dilma 
Um levantamento da Folha de São Paulo mostra que os oito candidatos mais bem pontuados a presidente devem gastar perto de 200 milhões em suas campanhas. Em 2014, Dilma gastou sozinha mais de 356 milhões.

Candidato-polêmica 
Apesar de liderar as pesquisas de intenção de voto, Jair Bolsonaro (PSL) está longe de ser um candidato pacificador. Pelo contrário, veio pra esfacelar amizades e incendiar discussões nas redes sociais. A polêmica da vez é a sua intenção de liberar a caça.

Obs. Falando em Bolsonaro, hoje ele estará no Roda Viva da TV Cultura às 10h15min.

Heinze x Ana Amélia 
Uma amizade esfacelada por Bolsonaro, por exemplo, é a do deputado Heinze e da senadora Ana Amélia. Heinze declarou apoio a Bolsonaro. Ela está com Alckmin (PSDB). E, pelo que se sabe, não está nem aí pra campanha de Heinze a governador.

2 comentários:

  1. Preparem-se para mais de 45 milhões de abstenções. Bem mostra a Charge, se chegou nisso a culpa é dos que votam nos que lá estão e a 30 anos nada fazem, e mesmo assim se elegem. Admiro quem ainda acha em quem votar.

    ResponderExcluir
  2. 45 milhões de abstenções!! Pode ser, mas deixar de votar jamais!! Só se elegem os que estão hoje no poder por que tem 45 milhões de covardes, se você não gosta do que tem mude, faça como eu que sigo em campanha para que ninguém do meu cerco vote em políticos que estão ou já estiveram no poder, seja no cargo que for ( deputado, senador, governador ou presidente), vote em candidato novo, em todas as esferas temos candidatos novos, vamos usar estes 45 milhões de votos para nudar de verdade!!!

    ResponderExcluir

O Nova Pauta é um blog noticioso e crítico, portanto sua opinião é sempre bem-vinda. No entanto, seu comentário não será aceito se ele contiver conteúdo de de cunho racista, discriminatório, acusativo ou ofensivo de qualquer natureza contra pessoas e instituições;

E, de preferência, identifique-se. Mantenha o nível, mostre sua inteligência e contribua para um bom debate. Assim, sua crítica será bem recebida pelos leitores se você usar o poder do argumento.

É proibida a reprodução de parte ou do todo desta publicação sem a permissão dos seus autores.

Por fim: TODOS OS COMENTÁRIOS SÃO LIDOS antes de serem publicados. E isso pode demorar. Portanto, aguarde.

Editores

João Lemes
Éder Alves
Nova Pauta