Apoiam este projeto:

terça-feira, 25 de setembro de 2018

Mourão em Santiago: “O que der para privatizar, vamos privatizar”

Precisamos de menos Brasília e mais Brasil
O general Mourão passou o meio-dia desta terça em Santiago, onde almoçou com lideranças, imprensa e convidados no CTG Os Tropeiros. O vice de Bolsonaro (PSL) falou de maneira rápida e objetiva. Começou abordando a crise na Venezuela, passou pela crise econômica brasileira que, a seu ver, foi causada pelos governos petistas. Não esqueceu de lembrar da corrupção, causa de muitas prisões, inclusive de um ex-presidente.  Depois concluiu abordando vários pontos do plano de governo.

“O que  der para 
privatizar, vamos privatizar” 
Entre os destaques, a alta carga tributária, as regalias nos governos, a malha rodoviária sucateada, a qual deve ser reforçada pelas ferrovias. Não esqueceu de mencionar as privatizações. “O que  der para privatizar, vamos privatizar”, mas ficar com o controle nas mãos, caso da Petrobras que hoje está liquidada.

“Pela democracia e liberdade”
Mourão ainda abordou a educação, a segurança e encerrou saudando democracia. “Mesmo que tenha problemas, ainda é o melhor sistema. Precisamos de democracia e liberdade, mas deixar do jeito que está, não dá mais. Basta! Chega! Precisamos de menos Brasília e mais Brasil. Menos Brasília e mais Santiago”, disse, momento em que foi muito aplaudido.

Em breve você vai ver o vídeo produzido pelo Canal Expresso. Veja também todos os detalhes no jornal Expresso desta sexta, 28.
Lideranças e demais convidados lotaram o CTG
O artista Felipe Borges Lorenzini mostrou sua arte.
 Lideranças do Sindicato Rural
 José Cairoli, vice governador do Estado (Centro), se encontrou com os amigos Guilherme Bonoto e Rúderson Mesquita.

Um comentário:

  1. Foi impressionante a lucidez do Gen. Mourão. Falou o que a população gostaria de ouvir. Privatizar o que tem que tem que privatizar e não privatizar o que deve ser brasileiro. Disse que Caixa e Banco do Brasil não serão dirigidos por políticos, como sempre foram, dando margem a roubos e falcatruas. e sim presididos por funcionários dessas duas empresas, os quais disse o Gen. Mourão terem qualidade suficiente de administrarem as duas instituições.
    Gostei também de falar que o nosso exército não se compara com o da Venezuela, pois o nosso nunca apoiara uma DITADURA como é a do Maduro, na Venezuela.
    Outra preocupação do vice de Bolsonaro foi a possibilidade de Haddad dar indulto de perdão ao ex presidente Lula. Fato já comentado por Haddad e Ciro Gomes.

    ResponderExcluir

O Nova Pauta é um blog noticioso e crítico, portanto sua opinião é sempre bem-vinda. No entanto, seu comentário não será aceito se ele contiver conteúdo de de cunho racista, discriminatório, acusativo ou ofensivo de qualquer natureza contra pessoas e instituições;

E, de preferência, identifique-se. Mantenha o nível, mostre sua inteligência e contribua para um bom debate. Assim, sua crítica será bem recebida pelos leitores se você usar o poder do argumento.

É proibida a reprodução de parte ou do todo desta publicação sem a permissão dos seus autores.

Por fim: TODOS OS COMENTÁRIOS SÃO LIDOS antes de serem publicados. E isso pode demorar. Portanto, aguarde.

Editores

João Lemes
Éder Alves
Nova Pauta