Apoiam este projeto:

quarta-feira, 26 de junho de 2019

Sabe por que a gente se apega a objetos do passado?

ARTIGO DO DIA
Dê lembranças 
(por João Lemes) 

Cresci ouvindo as pessoas dizendo:
 - Bom dia! Como vão por lá?
- Bem. Mandaram lembranças.
E na despedida...
 -  Dê lembrança lá.
 - Obrigado. Será entregue.
São provas de que a lembrança de coisas e pessoas é o que nos faz humanos.

Outra coisa que sempre quis saber; por que a gente se apega a bens materiais do passado que nos trazem de tudo um pouco, principalmente algo confundido com nostalgia, angústia, alegria, saudade... não sabe o que bem o que é não tem como saber mesmo. Porém, lendo um estudo do neurocientista Pedro Calabrez, soube que existe uma palavra que define essas memórias. Seria “memento”, “objeto guardado para lembrança” como fotos de um ex-amor, sapatos antigos, carros etc. Eis um exemplo de que nós só existimos de fato graças à memória. Somos escravos dela. Nossa identidade está presa à memória.

Quando esses objetos (ou lugares) são vistos, na realidade nós estamos com saudade das pessoas com quem vivemos, saudade de uma vida feliz ou saudade de nós mesmos. E é aconselhável que nos apeguemos a isso (de uma forma equilibrada) para que a gente alimente essas memórias. Para que elas não morram em nós. Para que sigamos vivendo com saudade, nostalgia, com certa angústia... mas vivendo.


Um comentário:

  1. Muito interessante esse seu artigo, João... Principalmente quando vc aborda a saudade de nós mesmos quando da nossa valorização por objetos usados no passado ... Feliz daquele que tem saudade !!!

    OBS: Tentei publicar no facebook, mas não consegui.

    ResponderExcluir

O Nova Pauta é um blog noticioso e crítico, portanto sua opinião é sempre bem-vinda. No entanto, seu comentário não será aceito se ele contiver conteúdo de de cunho racista, discriminatório, acusativo ou ofensivo de qualquer natureza contra pessoas e instituições;

E, de preferência, identifique-se. Mantenha o nível, mostre sua inteligência e contribua para um bom debate. Assim, sua crítica será bem recebida pelos leitores se você usar o poder do argumento.

É proibida a reprodução de parte ou do todo desta publicação sem a permissão dos seus autores.

Por fim: TODOS OS COMENTÁRIOS SÃO LIDOS antes de serem publicados. E isso pode demorar. Portanto, aguarde.

Editores

João Lemes
Éder Alves
Nova Pauta