Apoiam este projeto:

terça-feira, 24 de dezembro de 2019

Flávio nega, mas a quebra de sigilo complica sua vida cada vez mais

Entre as linhas de investigação do Ministério Público estão o uso de funcionários fantasmas, indícios de lavagem nas transações imobiliárias e o envolvimento de seu ex-assessor Queiroz com o miliciano Adriano Magalhães, o Capitão Adriano, chefe do Escritório do Crime (grupo apontado como o responsável pelo assassinato da vereadora Marielle Franco e do seu motorista). A continuidade das investigações (suspensas em julho por liminar do ministro Toffoli e liberadas agora) também abriu novos flancos, como o possível uso da loja de chocolates como mais uma forma de lavagem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Nova Pauta é um blog noticioso e crítico, portanto sua opinião é sempre bem-vinda. No entanto, seu comentário não será aceito se ele contiver conteúdo de de cunho racista, discriminatório, acusativo ou ofensivo de qualquer natureza contra pessoas e instituições;

E, de preferência, identifique-se. Mantenha o nível, mostre sua inteligência e contribua para um bom debate. Assim, sua crítica será bem recebida pelos leitores se você usar o poder do argumento.

É proibida a reprodução de parte ou do todo desta publicação sem a permissão dos seus autores.

Por fim: TODOS OS COMENTÁRIOS SÃO LIDOS antes de serem publicados. E isso pode demorar. Portanto, aguarde.

Editores

João Lemes
Éder Alves
Nova Pauta