Apoiam este projeto:

terça-feira, 10 de dezembro de 2019

Lula e seu filho cada vez vão mais para o buraco

Há supostos repasses da Oi a filho de Lula para compra do sítio de Atibaia 
Há mandados sendo cumpridos em São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia e  Distrito Federal

A Polícia Federal deflagrou a Operação Mapa da Mina, da Lava-Jato. Um dos alvos é Fábio Luis, filho do ex-presidente Lula, suspeito de corrupção, tráfico de influência e lavagem de dinheiro envolvendo operadoras de telefonia, internet e TV por assinatura que atuam no Brasil e no Exterior.

A suspeita é de que empresas do grupo Gamecorp/Gol, controladas por  Fábio Luis Lula da Silva (filho de Lula) e Fernando Bittar, apontado como um dos proprietários do sítio de Atibaia, Kalil Bittar e Jonas Suassuna, receberam repasses do grupo Oi/Telemar que, em troca, teria sido beneficiada pelo governo petista.

Os pagamentos, que somam R$ 132 milhões de 2004 a 2016, teriam sido usados na compra do sítio em Atibaia (SP) frequentado pelo ex-presidente.

O Ministério Público Federal cita um decreto de 2008, assinado por Lula, permitindo a operação de aquisição da Brasil Telecom pelo grupo Oi/Telemar. Os procuradores também suspeitam da atuação de José Dirceu, enquanto ministro da Casa Civil, em favor da empresa. (Zero Hora).

Um comentário:

  1. Trata-se de mais uma armação/apelação dos lavagistas de Curitiba contra Lula e sua família. Veja: https://jcsgarcia.blogspot.com/2019/12/acao-contra-filho-de-lula-tem-cheiro-de.html

    ResponderExcluir

O Nova Pauta é um blog noticioso e crítico, portanto sua opinião é sempre bem-vinda. No entanto, seu comentário não será aceito se ele contiver conteúdo de de cunho racista, discriminatório, acusativo ou ofensivo de qualquer natureza contra pessoas e instituições;

E, de preferência, identifique-se. Mantenha o nível, mostre sua inteligência e contribua para um bom debate. Assim, sua crítica será bem recebida pelos leitores se você usar o poder do argumento.

É proibida a reprodução de parte ou do todo desta publicação sem a permissão dos seus autores.

Por fim: TODOS OS COMENTÁRIOS SÃO LIDOS antes de serem publicados. E isso pode demorar. Portanto, aguarde.

Editores

João Lemes
Éder Alves
Nova Pauta