Apoiam este projeto:

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2020

Giro crítico e noticioso

CAI CAI OU NÃO CAI?
Todo santo dia é dia do nosso deputado Marcelo Brum se segurar na cadeira. O outro gaúcho, Onyx Lorenzoni, cedeu sua vagada ao santiaguense e ficou tudo bem. Tivemos o primeiro deputado federal da história da cidade, só que essa novela do cai não cai já está enchendo a paciência dos eleitores.

Marcelo conseguiu muitas emendas para Santiago, porém a sua popularidade não quer saber de emendar numa fase boa... 

Esqueceram de mim
 Aqui na aldeia, o ex-prefeito Júlio Ruivo falou na Rádio Nova Pauta e disse que não é um ex-prefeito, é um "exquecido". O progressista chorou as pitangas  para a nossa "Marília Gabriela tupiniquim", a jornalista Sandra Siqueira em A Pauta é, pela 100.7.

Supersincero
O que mais me encanta no Ruivo é a sinceridade. Confessou que se sente só, abandonado, excluído. Aí a atenta jornalista questionou se ele não tem um cargo de assessor com um bom salário. Sim, ele disse, mas isso é um "prêmio de consolação".

Chora, meu louro!
Bom, se um salário de 17 mil é consolação, que tal seria se ganhasse menos. Esmola?

Enquanto isso, Tiago goza férias
O prefeito Tiago segue em férias. Ele segue gozando enquanto o vice Cláudio Cardoso desfruta da sua cadeira. Aliás, essa cadeira é boa no começo. Depois ela causa uma doença chamada  de "abstinência do poder", poder de mando...

Política da cachacinha 
Muitos falam da política e não vivem sem ela. Marcelo Brum quer lançar a  esposa de vice do Bianchini. Aliás, falando em Bianchini, esse foi o mesmo que disse certo dia que vivia melhor sendo assessor do que deputado, pois a derrota lhe tirou um peso dos ombos.

Que bom que o peso saiu e ficou a grana no bolso como assessor parlamentar ou seria assessor "para lamentar"? 

Marco Peixoto
Há pouco o nosso conselheiro Marco Peixoto foi notícia no Expresso porque recebeu uma gorda indenização do poder público. Ele me disse que seus 700 e poucos mil dizem respeito ao prazo de 30 anos, como deputado e conselheiro. São férias e licenças-prêmio não gozadas que o TCE pagou numa tacada só. Ano que vem essa lei da licença não vale mais.

Falando cara a cara com o Peixoto, ouvi dele o seguinte: existe alguém que tenha aberto mão de um direito adquirido? Eu disse que em 30 anos de jornalismo eu nunca vi.


PUBLICIDADE:
REVENDA DE CLIMATIZADORES

3 comentários:

  1. É um pouco engraçado!!! para outros poderes se não tira férias no ano seguinte ao período aquisitivo expira!! É que o TCE e Assembléia tem recesso de uns 60 dias, férias que se acumulam por décadas, pra que gozar delas se pode receber pecúnia??🤡🤡🤡

    ResponderExcluir
  2. A carreta furacão vai logo parar no Tião da oficina... hahahah Marcelo tu es un belo deputado. Porém não te elegeu pelo voto e sim pelo partido. Aproveita brasilia e logo ela vai te deixar na mão.

    ResponderExcluir

O Nova Pauta é um blog noticioso e crítico, portanto sua opinião é sempre bem-vinda. No entanto, seu comentário não será aceito se ele contiver conteúdo de de cunho racista, discriminatório, acusativo ou ofensivo de qualquer natureza contra pessoas e instituições;

E, de preferência, identifique-se. Mantenha o nível, mostre sua inteligência e contribua para um bom debate. Assim, sua crítica será bem recebida pelos leitores se você usar o poder do argumento.

É proibida a reprodução de parte ou do todo desta publicação sem a permissão dos seus autores.

Por fim: TODOS OS COMENTÁRIOS SÃO LIDOS antes de serem publicados. E isso pode demorar. Portanto, aguarde.

Editores

João Lemes
Éder Alves
Nova Pauta